terça-feira, 28 de junho de 2011

From: Beirute

Vou começar pelo fim, pelo último destino que visitei: Beirute.


A minha curiosidade por Beirute começou ao ver este belo filme Caramel. Uma amiga Libanesa confirmou que o filme retrata muito bem um tipo de mulheres do Líbano, bem como um pouco da sua cultura. Seria imperdoável regressar um dia para Portugal sem visitar esta cidade.

Beirute é conhecida como a cidade mais cosmopolita do médio Oriente,  chamada Paris do médio Oriente e não me desiludiu. É uma cidade pequena, perfeita para explorar a pé. Se for a Beirute não esquecer de levar um bom calçado e partir à aventura pelas suas ruas.

É preciso ter cuidado com os táxis, explique muito bem para onde quer ir e acerte um preço logo no inicio. Convém ter sempre  trocos,  por norma dizem sempre que não têm para ficar com a totalidade. Um  serviço ronda 10000-15000 mil Libras (1500 liras = 1 USD).

Ao visitar Dowtown, não deixar de ir ao Souk moderno que lá existe. Em vez de um grotesco centro comercial, construíram um Souk moderno, com as  ruelas caracteríticas em labirinto, mas em vez de ter barraquinhas e o vendendor a gritar pelos clientes temos as lojas actuais. 

A noite de Beirute é muito aclamada, por isso é preciso escolher bem os dias da viagem, a grande maioria dos bares e clubs estão fechados nas noites de domingo e segunda-feira. Infelizmente foram as noites que estivemos lá e consequentemente não vivemos a verdadeira nightlife de Beirute. Gemmayze é o nome da rua que está repleta de bares. É perfeita para andar a saltitar de bar em bar até ao dia nascer. Os bares que me recomendaram foram o Gauche Caviar, Alcatraz, Bar Metis e Bobby's Bar. Quanto aos clubs foram o B-018, White, Sky Bar e Buddha Bar, mas convém ir bem cedo ou fazer uma reserva pois costumam encher.

Achei a cidade cara, tanto para comer como para  ir às compras. Os souvenirs repetem-se pelos países do médio oriente, não suscitando muita curiosidade. No entanto encontrei uma loja cuja montra me chamou atenção, a Mouawad Artisan, na Antoun Gemayel Street- Hamra, que vende bijutaria feita à mão. Difícil foi escolher, pelo preço e por ser tudo lindo. Optei por um anel apesar de ter adorado uma pulseira de braço (que ando à procura há tempos), mas o preço não foi convidativo. No facebook podem ver fotografias da loja e de alguns artigos, inclusivamente a pulseira de que falo. 

O meu anel
A não perder:

A Corniche
Pigeon Rock
Place D'Étoile
Beirut Souk's
Teleférico até à Virgin Mary
 Autor das fotografias Ricardo Ferro, meu companheiro de viagem

Curiosidade sobre o Dubai/Líbano

Contou-me uma marroquina que trabalhava num centro de beleza em Abu Dhabi, que as Emiratis não simpatizam com as Libaneses, porque são bonitas e falam árabe, sendo potenciais esposas num segundo casamento (a primeira esposa tem de ser Emirati).

0 comentários:

Enviar um comentário

Deixa aqui o teu comentário para podermos conversar um pouco :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...